quarta-feira, março 08, 2006

Sotaque Vs. Credibilidade

Consciente do eventual teor polémico das palavras que se seguem, começo desde já por dizer que acredito que o que vou dizer a seguir possa estar errado, mas é mais forte do que eu acreditar nisto.

Para mim, as pessoas com sotaque, qualquer sotaque, algarve, minho, o que for, carecem à partida de qualquer credibilidade no seu discurso oral.

Um gajo de Amarante pode reiventar a roda e revolucionar a ciência tal como a concebemos hoje, mas se fizer a apresentação da sua teoria oralmente, aquilo para mim é um chorrilho de barbaridades.

O sotaque rouba as pessoas de integridade intelectual e uma pessoa com sotaque, diga o que disser, na minha cabeça está a dizer um pregão para vender produtos\serviços ou então a defender acaloradamente o Futebol Clube do Porto.

Injusto? Talvez. Mas a ideia de pôr fé em palavras ditas com um sotaque de Guimarães, mesmo que sejam as mais brilhantes do mundo, enche-me duma vergonha e dum terror que abafa toda a injustiça.

Vocês que não têm sotaque, confessem: Quando tão no Norte e pedem indicações do caminho, assim que o velho abre a boca e diz “Ora beim, Bomessê bira ali à Isqueirda”, vocês não partem automaticamente do príncipio de que o gajo não percebe nada daquilo? Confessem lá....

6 comentários:

e disse...

...

Anónimo disse...

No comments!

Hugo Pereira disse...

porquê guimaraes? tantas cidades em Portugal, onde os habitantes tem sotaque e falam de guimaraes que é o berço...acho muito mau da tua parte.

Carlota disse...

LOL yah tens razão... deviamos ser todos lisboetas XD NOT!!! -_-'

Hugo Pereira disse...

Nao me falem em lisboetas!! Fui pa viagem de finalistas a semana passada e o hotel onde fiquei tava cheio de lisboetas, ja nao podia com o sotaquer deles, se aquilo é que oferece alguma credibilidade...

hugo silva disse...

Boa tarde,
estou a procura de pessoas com sotaques para fazer um casting.
Em lisboa.
Contactar por mail:
hugo.inoque@p35.pt